O que é um sérum?

Um sérum consiste numa preparação fluida, ou seja, pouco viscosa com elevada concentração em ingredientes ativos. Dadas estas caraterísticas, deve ser aplicado diretamente sobre a pele limpa e antes de qualquer outro produto cosmético.

Os produtos formulados sob a forma de sérum podem ter função antioxidante, hidratante, suavizante, seborreguladora, despigmentante, antienvelhecimento, entre outras, de acordo com os ingredientes ativos presentes.

Um sérum não apresenta ingredientes com função de filtro solar, pelo que o seu uso não proporciona efeito fotoprotetor.

O conceito de sérum pode, por vezes, constituir motivo de confusão quando em comparação, por exemplo, com um creme. Este, ao contrário de um sérum, pode incluir ingredientes com capacidade oclusiva que por formarem uma barreira protetora previnem a perda de água à superfície da pele, promovendo a manutenção da sua integridade e hidratação. O mecanismo de atuação do sérum é diferente na medida em que não tem como objetivo criar um filme protetor, mas sim promover a fixação de água nas camadas superficiais da pele.

Relativamente ao seu acondicionamento, uma vez que se trata de uma preparação fluida apresenta-se frequentemente em frascos com pipeta ou outro sistema doseador de forma a facilitar a sua utilização adequada. Quando é necessário manter os seus ingredientes ativos protegidos da luz recorre-se a frascos de vidro opaco.

- Um sérum é uma formulação de aplicação cutânea, de textura fluida e elevado teor em ingredientes ativos.

- De acordo com o tipo de ingredientes ativos incluídos, um sérum poderá desempenhar diferentes funções tais como hidratação e antienvelhecimento.

O que é um ‘champô sem sal’?

No contexto dos ‘champôs sem sal’ importa perceber qual a função do sal nos champôs. Sais como o cloreto de sódio encontram-se em baixas concentrações nos champôs (geralmente entre 1-2%), atuando como espessantes, atribuindo-lhes a consistência adequada para que o consumidor considere a sua utilização agradável. Encontram-se inclusivamente presentes em champôs condicionadores onde desempenham o mesmo papel.

O ‘champô sem sal’, ou seja, sem sais como o cloreto de sódio, surgiu no Brasil em consequência da adesão exponencial a alisamentos capilares químicos cujo efeito era reduzido após os banhos no mar e o elevado tempo de contacto do cabelo com o sal.

A água do mar contém um elevado teor de cloreto de sódio – 3,5 até 4%, sendo que, nesta concentração, contribui para a perda do filme protetor que reveste a haste capilar e para o levantamento das cutículas, tornando-o áspero e difícil de pentear. A água do mar tem assim o potencial de interferir com a qualidade e estrutura global do cabelo, afetando também o alisamento.

Apesar de se tratar de uma ocorrência pouco sustentada por publicações científicas, rapidamente se instalou a crença de que o uso de um champô com sal anularia por completo o efeito do alisamento capilar, gerando-se uma procura por este tipo de champô.

No entanto, atendendo à reduzida concentração de sal presente nos champôs, ao baixo tempo de contacto destes com o cabelo e à baixa frequência de lavagem capilar que os consumidores com alisamentos permanentes praticam, o sal incluído nestes produtos não terá praticamente efeito nos alisamentos.

- Os sais encontram-se frequentemente presentes em champôs com função espessante, em baixas concentrações com interferência mínima na qualidade do cabelo e no efeito dos alisamentos capilares.